Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

# No intervalo da infinita beleza dos dias, o mundo é um lugar estranho.(feat. Otis Redding)

não nos damos conta, e em momentos em que há um bloqueio na escrita ( até as palavras precisam de sossego e silêncio), de que ,no intervalo da infinita beleza dos dias, o mundo é um lugar estranho onde abunda a violência cega sobre inocentes. (Orlando, Londres e todos os dias nos países onde há guerras, opressão e continuado terrorismo.) Pela paz. -aos que foram vítimas de terrorismo por estes dias.( all rights reserved to Otis Redding)

 mmalheiro

 [ a única obscenidade que conheço é a violência] Jim Morrison

# Ganhar balanço para o salto de coragem ( feat.Vampire Weekend)

A análise de risco , em qualquer situação de vida ou profissional, envolve sempre uma boa dose de coragem.

Se para alguns dar um mortal invertido a 12 metros para a água é modo de vida diário, para outros um salto em comprimento ganhando balanço é um puro ato de coragem.

Felizmente tenho conhecido pessoas admiráveis com a coragem toda nas mãos, agarrando a vida ao máximo, sugando o tutano todo e mandando pastar a doença ou os problemas.

Foram e são lições de vida com os chakras todos alinhadíssimos, diria um qualquer guru espiritual.

Depois há aqueles que ficam lá longe, como que numa fila enorme de supermercado de valores e ações, e que pedem aos outros para dar o salto em comprimento ou em altura por eles. Nunca terão coragem na vida. Ou melhor, terão uma coragem sem risco para eles, com 0% de risco, sem perdas aparentes.

Portanto, se calhar é melhor sentir o vento na cara ao correr numa pista de atletismo e fazer os kms todos que o corpo aguentar,  dar o mortal invertido mesmo que se caia mal e se bata de chapa na água, amar e abraçar quem queremos, sem medos, com coragem, e nadar para a margem contrária na profissão, quando sentimos que o mar está picado ( o que faremos quando tudo arde?). @mmalheiro

e5940852b4870f8af868ca5d6459be18.jpg

                                                  Audrey Hepburn, 1951, NY

                                                

 

# Os planos B - ( Feat. Free)

em dias em que tudo avaria- telemóvel, computador, carro- e nos remetemos a um estado incontactável com o mundo e os outros, como que regressando a um estado primitivo, sem virtualidades e de olhar real , delineamos no papel as possíveis estratégias de vida.

há anos alguém me dizia que ,atualmente, mais do que um Plano B, devíamos ter vários, com ,pelo menos, as cinco primeiras letras do alfabeto.

quando contamos os minutos para sair do local de trabalho com um ambiente sufocante, quando deixamos de ter o entusiasmo inicial, quando nos damos conta que não há progressão mas estagnação total e pensamos "mas o que é que estou aqui a fazer?", é claramente o momento de apanhar um outro voo.

Livre-arbítrio, diria Kant, se aqui estivesse ao lado. Diferente, contudo, o livre-arbítrio aos 20 da escolha ponderada, de risco, mas de coragem, aos 40.

quando crescemos com pais com esta capacidade de risco e de coragem talvez isso nos percorra todos os poros.

talvez seja a música adequada para todos que como eu se preparam para outros voos.

@mmalheiro

 

 

# A vida é uma bola de sabão (feat. Beirut)

                               

                             

 

                                         Hoje é dia da criança, talvez por isso hoje seja um dia em que os adultos ( alguns!)  acreditam que a vida é uma bola de sabão.

Aprende-se muito com as crianças, redescobre-se a física única das bolas de sabão e não se pensa em nada.

Os outros adultos, os que perderam a capacidade de ver as bolas de sabão a flutuar, lindas, no céu, têm listas de compras diárias para a vida ,que incluem a procrastinação dos sentimentos, o adiar dos beijos, dos abraços, a indiferença perante os doentes ( não estás suficientemente doente, só trato de uma parte de ti, vai lá ter com o meu outro colega médico e "desampara-me a loja"), a indiferença perante os sofrimentos dos outros, ou o espanto perante as alegrias, em prol do seu ego ( deixa-me tirar a foto com o melhor ângulo das minhas qualidades).

Um cansaço estes adultos das listas de compras.

Serão capazes algum dia de fazer bolas de sabão sem medo do ridículo, livremente?

                                                                       

e1a9f767547290ddd4fda24b0c52dfd3.jpg                                         Estas bolas de sabão vão diretamente para todas as crianças internadas ou em consulta no IPO de Lisboa, com muita ternura e música dentro. ( all rights reserved to Beirut)

@mmalheiro