Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

#Viver é cada vez mais uma sorte

Susan Sontag no seu Olhando o sofrimento dos outros, Quetzal, 2015, aborda o papel do "espetador de calamidades".

Infelizmente somos agora todos espetadores de calamidades por constante divulgação de imagens, de palavras, de sons, de registos de factos trágicos.

Se há mais de um mês a falta de meios, de coordenação, o pânico, as situações meteorológicas, causaram  tragicamente a perda de  vidas em Pedrógão Grande, hoje um acidente de avião numa praia colheu (inacreditavelmente) pessoas que estavam a aproveitar um simples dia de Verão.

Pode, de facto, acreditar-se numa linha ténue do acaso, incontrolável e desconhecida, mas, ao mesmo tempo, pode questionar-se se a incúria pode aparecer aos olhos de quem observa, testemunha in loco, como um mero acaso.

@mmalheiro

# A vida em modo economia

A vida

em modo Economia

poupa-te lá

poupa o coração

poupa o corpo

as pernas

a estrutura

 

A vida em modo Economia

poupa lá a má disposição

sorri sempre

mesmo que chova

mesmo que sejas chuva

 

 

não te desperdices

com o que não interessa

À matéria coletável

 

sopra a imaterialidade para o lado

assobia  ao deve e o haver dos dias

não contabilizes os dias maus

poupa as palavras

gasta apenas as necessárias

apaga os verbos incontáveis

em suma

não somes

ufa!

uma chatice a vida em Economia!

sorve os cálculos todos, a trigonometria, a Física Quântica, a Filosofia, a Literatura

soma

soma sempre

acumula tempo, Amor, sabedoria!

@mmalheiro

 

 

diminui

# Um nicho de mercado chamado Homem

5b6ac6fdd2e6ed52ede0884c541082b3.jpg                                             foto de blog.brancoprata.com

a ideia central que subjaz a toda a criação empreendedora é a inovação; um nicho de mercado intocado e lucrativo. junte-se agora também a ideia da utilidade , usabilidade e acessibilidade e aguarde-se o fervilhar do negócio. para isso é precisa uma extrema resiliência e capital q.b. .

neste momento, criar tudo o que facilite a vida ao Homem, mesmo que não precise nem tenha pensado nisso, é a chave de tudo. [ como se fosse necessário pensar constantemente na utilidade das coisas e não apenas vivenciá-las.] paradoxalmente criar produtos de facilitação diminui exponencialmente a empregabilidade.

[ precisaremos de tanta coisa? criar significados, dizia um poeta, é vital. criar postos de trabalho, acrescento, é o fio de prumo da economia. tem de ser.]

ainda bem que alguém inventou a música, sempre a criar significados em nós.

@mmalheiro

 

# Da transversal à avenida da liberdade

a1865655ed0761d2cfca0e3d0b80f4b1.jpg

                                 [O tempo corre lesto. Há, no entanto, falhas cansativas no sistema criado por outros, afetando o ritmo circadiano dos dias. A viagem prossegue até ao próximo semáforo. Sempre verde, espera-se.]

@mmalheiro

# Da gestão do caos

6162e27d1c61b322d72b9d4cc740360d.jpg

                                                              in allposters.br

[ interrupção breve da sabática de escrita estival:. para se gerir o caos em qualquer situação, quer seja num aeroporto internacional, quer seja numa empresa, numa casa ou na vida diária, tem de se ter uma "inteligência lisa" como a água "lisa" ,sem ondulação, do mar.

Assisti um dia à gestão do caos numa loja de uma grande empresa, por parte de um CEO que passava por ali, por mero acaso. Em 10 minutos ficou tudo resolvido. Simples.]

As únicas coisas que evoluem por vontade própria numa organização são a desordem, o atrito e o mau desempenho.

Peter Drucker

@mmalheiro

# Da Física ( feat. The Cure)

5cadc265a23e732d9e1e56894979311e.jpg

                                         Foto de Hubpages

                                        um brinde à Física que embala no seu Caos um encontro de almas.

                                        [ ao J. , com amor].

                                        @mmalheiro

# A vida é mais fácil sem palavras ( feat. Hamilton Leithauser + Rostam - In a Black Out)

676d6c5d379af2f6d857d4c78b5a0c11.jpg

                                         Foto do filme Before Sunrise in Pinterest.

[ menos palavras,  menos rede, menos programação, mais atitude e mais leis da Física. life's short.]

@mmalheiro

 

# Dos dias instantâneos ( feat. James Taylor)

b58702daeb2ff8b6f8967650aba8f83a.jpg

                                                        Jane Fonda e Robert Redford em "Barefoot in the Park" (1967)

                                          Um dia os sociólogos escreverão ( se não estão já a escrever) sobre esta sociedade instantânea, perfeitamente anormal no contacto humano ( cara a cara) e que medeia as relações humanas através das tecnologias, de modo acéfalo. Estou a escrever num Blog , podendo questionar-se também isso. 

Certamente por estes dias os "maluquinhos" dos Pokémons encontrar-se-ão numa qualquer auto-estrada sem tempo para refletir sobre isto, pois perseguirão outro Pokémon...

Às vezes penso no bem que faria a muita gente um crash de algumas horas na Internet. Como seria viver sem tecnologias? O que diria Thoreau se fosse vivo? Onde está a transparência? A não necessidade de ocultação da verdade e do instantâneo? A autenticidade dos afetos e das relações? E menos ego público? 

[ reflexões desta blogger por pura carolice]

música de James Taylor  ( all rights reserved)

@mmalheiro

# Ganhar balanço para o salto de coragem ( feat.Vampire Weekend)

A análise de risco , em qualquer situação de vida ou profissional, envolve sempre uma boa dose de coragem.

Se para alguns dar um mortal invertido a 12 metros para a água é modo de vida diário, para outros um salto em comprimento ganhando balanço é um puro ato de coragem.

Felizmente tenho conhecido pessoas admiráveis com a coragem toda nas mãos, agarrando a vida ao máximo, sugando o tutano todo e mandando pastar a doença ou os problemas.

Foram e são lições de vida com os chakras todos alinhadíssimos, diria um qualquer guru espiritual.

Depois há aqueles que ficam lá longe, como que numa fila enorme de supermercado de valores e ações, e que pedem aos outros para dar o salto em comprimento ou em altura por eles. Nunca terão coragem na vida. Ou melhor, terão uma coragem sem risco para eles, com 0% de risco, sem perdas aparentes.

Portanto, se calhar é melhor sentir o vento na cara ao correr numa pista de atletismo e fazer os kms todos que o corpo aguentar,  dar o mortal invertido mesmo que se caia mal e se bata de chapa na água, amar e abraçar quem queremos, sem medos, com coragem, e nadar para a margem contrária na profissão, quando sentimos que o mar está picado ( o que faremos quando tudo arde?). @mmalheiro

e5940852b4870f8af868ca5d6459be18.jpg

                                                  Audrey Hepburn, 1951, NY

                                                

 

# Pensar para além da Da Res Pública ,da Escola Pública e da Escola Privada

e1f74abd96b9fc583b883e103b0e134e.jpg                                                    Fotografia de Glass Planet no Flickr 

Muito se tem falado por estes dias na Escola Pública e na Escola Privada.

Já não há sinceramente paciência para ler nem nas redes sociais, nem nos jornais sobre esta "guerrinha de cores".

Ponto primeiro, há escolas públicas muito boas, há escolas privadas muito boas, pedagogicamente.

Ponto segundo, o mesmo se aplica na negativa.

Ponto terceiro, deve haver liberdade de escolha sempre pagando pelo serviço privado pedagógico. Se os pais não puderem pagar na totalidade, poderão pagar de acordo com os rendimentos.

Ponto quarto, distribuição equitativa de alunos para ambos os lados.

Ponto quinto, há escolas públicas que necessitam de obras urgentes, como é o caso do Liceu Camões, uma excelente escola pública.

Último ponto, é preciso pensar para além do quadrado, para além das metas, dos objetivos específicos, dos tempos letivos, das componentes letivas e não letivas, pensando-se numa escola de futuro em Portugal.

Qual deverá ser essa escola?

Há um ano um professor português ( diretor de uma escola privada)explicou brilhantemente para uma plateia de mais de 400 professores de uma escola pública como se pensa para além da pedagogia do quadrado, limitadíssima às quatro paredes de uma sala de aula.

Também há um ano uma professora mostrou-me ,radiante, como tinha instalado um laboratório de ciências físico-químicas, com o equipamento que ia ser deitado fora após as obras da Parque Escolar num  liceu muito antigo do centro de Lisboa ( esse liceu doou generosamente este equipamento), numa escola pobre na zona de Loures donde se avistavam os aviões ou como andava com um GPS marítimo a ensinar localizações aos alunos mais novos.

Portanto, é possível pensar para além do quadrado de ambos os lados.

A Comissão Europeia e o Programa Pestalozzi já o fazem, tentando mudar mentalidades.

Leia aqui sobre a Educação para a Democracia e aprenda sobre a nova formação para professores criada pela Comissão Europeia.

ao meu professor de Português, António Leitão ( in memoriam)

@mmalheiro