Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

# Um nicho de mercado chamado Homem

5b6ac6fdd2e6ed52ede0884c541082b3.jpg                                             foto de blog.brancoprata.com

a ideia central que subjaz a toda a criação empreendedora é a inovação; um nicho de mercado intocado e lucrativo. junte-se agora também a ideia da utilidade , usabilidade e acessibilidade e aguarde-se o fervilhar do negócio. para isso é precisa uma extrema resiliência e capital q.b. .

neste momento, criar tudo o que facilite a vida ao Homem, mesmo que não precise nem tenha pensado nisso, é a chave de tudo. [ como se fosse necessário pensar constantemente na utilidade das coisas e não apenas vivenciá-las.] paradoxalmente criar produtos de facilitação diminui exponencialmente a empregabilidade.

[ precisaremos de tanta coisa? criar significados, dizia um poeta, é vital. criar postos de trabalho, acrescento, é o fio de prumo da economia. tem de ser.]

ainda bem que alguém inventou a música, sempre a criar significados em nós.

@mmalheiro

 

# Da transversal à avenida da liberdade

a1865655ed0761d2cfca0e3d0b80f4b1.jpg

                                 [O tempo corre lesto. Há, no entanto, falhas cansativas no sistema criado por outros, afetando o ritmo circadiano dos dias. A viagem prossegue até ao próximo semáforo. Sempre verde, espera-se.]

@mmalheiro

# Da cotação de um trabalhador em Portugal

b82651c47e1b36a46d9f1ca75efffd6a.jpg

                                  Foto Artur Pastor ( Douro)

                                 Há dias diziam-me que era absolutamente normal um trabalhador licenciado ter uma remuneração mensal de 600 euros. Normal não é. Talvez seja neste país em que se pratica cada vez mais aquilo que é denominado de "dumping laboral", o pagamento ao mais baixo custo possível.

Pensei, então, que tal como existe um "mercado" para os jogadores de futebol, os atletas mais bem pagos de sempre, qual será a cotação "em bolsa" de um trabalhador licenciado, com 4 ou 6 anos de estudo, versão pré-Bolonha e quase 20 anos de trabalho efetivo.

Qual será a cotação em bolsa de trabalhadores de quase 50 anos com precariedades laborais e imensa experiência de vida? Qual será a cotação em bolsa de jovens de 25 anos em permanentes estágios de inserção ( bolsa-emprego)?

Algo tem de ser mudado no Direito do Trabalho em Portugal, a bem de uma bolsa de valores verdadeiramente robusta  para todos os trabalhadores, de todas as idades e categorias profissionais.

@mmalheiro

 

# Dançar na corda bamba

3b06b49c7890d7600482ed7724e942cd.jpg                                                    Lisboa, 1971, s/a

                           às vezes é verdadeiramente revoltante viver neste país: um sistema de gestão de recursos humanos, de gestão de processos claramente falho. diferentes sistemas informáticos, diferentes metodologias de trabalho, plataformas de vida profissional diferenciadas e claramente decadentes em alguns setores. onde está a inovação e agilização dos processos, onde ficou a noção de pensar no funcionário/ no colaborador em mais do que uma pessoa com um código de barras, um número interno como pessoa numa sociedade? onde ficou a noção de que um trabalhador é um ser humano e de que é possível pensar a gestão de processos muito para além da mediania?

às vezes é verdadeiramente revoltante viver neste país.

@mmalheiro

 

# Da Física ( feat. The Cure)

5cadc265a23e732d9e1e56894979311e.jpg

                                         Foto de Hubpages

                                        um brinde à Física que embala no seu Caos um encontro de almas.

                                        [ ao J. , com amor].

                                        @mmalheiro

# A vida é mais fácil sem palavras ( feat. Hamilton Leithauser + Rostam - In a Black Out)

676d6c5d379af2f6d857d4c78b5a0c11.jpg

                                         Foto do filme Before Sunrise in Pinterest.

[ menos palavras,  menos rede, menos programação, mais atitude e mais leis da Física. life's short.]

@mmalheiro

 

# Dos dias instantâneos ( feat. James Taylor)

b58702daeb2ff8b6f8967650aba8f83a.jpg

                                                        Jane Fonda e Robert Redford em "Barefoot in the Park" (1967)

                                          Um dia os sociólogos escreverão ( se não estão já a escrever) sobre esta sociedade instantânea, perfeitamente anormal no contacto humano ( cara a cara) e que medeia as relações humanas através das tecnologias, de modo acéfalo. Estou a escrever num Blog , podendo questionar-se também isso. 

Certamente por estes dias os "maluquinhos" dos Pokémons encontrar-se-ão numa qualquer auto-estrada sem tempo para refletir sobre isto, pois perseguirão outro Pokémon...

Às vezes penso no bem que faria a muita gente um crash de algumas horas na Internet. Como seria viver sem tecnologias? O que diria Thoreau se fosse vivo? Onde está a transparência? A não necessidade de ocultação da verdade e do instantâneo? A autenticidade dos afetos e das relações? E menos ego público? 

[ reflexões desta blogger por pura carolice]

música de James Taylor  ( all rights reserved)

@mmalheiro

# Right down the line

977d7908b1a8d4a36b5d962663cc6380.jpg

                                              Woody Allen e Meryl Streep on the set of Manhattan, 1979

                                         a vida é, por vezes, uma corrida da milha mas de pés descalços.

talvez seja a melhor das corridas, sem nada a perder. tudo a nu.

não há competição de desejos e vontades, sonhos e esperanças, tristezas e mortes, 

perfeito despojamento. indiferença aos ventos amoke.

areia de Borges, mar de Neruda, sal de Moravia.

a vida é, por vezes, uma corrida da milha sem asas nos pés.

@mmalheiro

 

                                         

# Ganhar balanço para o salto de coragem ( feat.Vampire Weekend)

A análise de risco , em qualquer situação de vida ou profissional, envolve sempre uma boa dose de coragem.

Se para alguns dar um mortal invertido a 12 metros para a água é modo de vida diário, para outros um salto em comprimento ganhando balanço é um puro ato de coragem.

Felizmente tenho conhecido pessoas admiráveis com a coragem toda nas mãos, agarrando a vida ao máximo, sugando o tutano todo e mandando pastar a doença ou os problemas.

Foram e são lições de vida com os chakras todos alinhadíssimos, diria um qualquer guru espiritual.

Depois há aqueles que ficam lá longe, como que numa fila enorme de supermercado de valores e ações, e que pedem aos outros para dar o salto em comprimento ou em altura por eles. Nunca terão coragem na vida. Ou melhor, terão uma coragem sem risco para eles, com 0% de risco, sem perdas aparentes.

Portanto, se calhar é melhor sentir o vento na cara ao correr numa pista de atletismo e fazer os kms todos que o corpo aguentar,  dar o mortal invertido mesmo que se caia mal e se bata de chapa na água, amar e abraçar quem queremos, sem medos, com coragem, e nadar para a margem contrária na profissão, quando sentimos que o mar está picado ( o que faremos quando tudo arde?). @mmalheiro

e5940852b4870f8af868ca5d6459be18.jpg

                                                  Audrey Hepburn, 1951, NY

                                                

 

# Os planos B - ( Feat. Free)

em dias em que tudo avaria- telemóvel, computador, carro- e nos remetemos a um estado incontactável com o mundo e os outros, como que regressando a um estado primitivo, sem virtualidades e de olhar real , delineamos no papel as possíveis estratégias de vida.

há anos alguém me dizia que ,atualmente, mais do que um Plano B, devíamos ter vários, com ,pelo menos, as cinco primeiras letras do alfabeto.

quando contamos os minutos para sair do local de trabalho com um ambiente sufocante, quando deixamos de ter o entusiasmo inicial, quando nos damos conta que não há progressão mas estagnação total e pensamos "mas o que é que estou aqui a fazer?", é claramente o momento de apanhar um outro voo.

Livre-arbítrio, diria Kant, se aqui estivesse ao lado. Diferente, contudo, o livre-arbítrio aos 20 da escolha ponderada, de risco, mas de coragem, aos 40.

quando crescemos com pais com esta capacidade de risco e de coragem talvez isso nos percorra todos os poros.

talvez seja a música adequada para todos que como eu se preparam para outros voos.

@mmalheiro