Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

horas extra

Blog de escrita nas horas extra dos dias

# Ganhar balanço para o salto de coragem ( feat.Vampire Weekend)

A análise de risco , em qualquer situação de vida ou profissional, envolve sempre uma boa dose de coragem.

Se para alguns dar um mortal invertido a 12 metros para a água é modo de vida diário, para outros um salto em comprimento ganhando balanço é um puro ato de coragem.

Felizmente tenho conhecido pessoas admiráveis com a coragem toda nas mãos, agarrando a vida ao máximo, sugando o tutano todo e mandando pastar a doença ou os problemas.

Foram e são lições de vida com os chakras todos alinhadíssimos, diria um qualquer guru espiritual.

Depois há aqueles que ficam lá longe, como que numa fila enorme de supermercado de valores e ações, e que pedem aos outros para dar o salto em comprimento ou em altura por eles. Nunca terão coragem na vida. Ou melhor, terão uma coragem sem risco para eles, com 0% de risco, sem perdas aparentes.

Portanto, se calhar é melhor sentir o vento na cara ao correr numa pista de atletismo e fazer os kms todos que o corpo aguentar,  dar o mortal invertido mesmo que se caia mal e se bata de chapa na água, amar e abraçar quem queremos, sem medos, com coragem, e nadar para a margem contrária na profissão, quando sentimos que o mar está picado ( o que faremos quando tudo arde?). @mmalheiro

e5940852b4870f8af868ca5d6459be18.jpg

                                                  Audrey Hepburn, 1951, NY

                                                

 

publicado às 22:50

# Os planos B - ( Feat. Free)

em dias em que tudo avaria- telemóvel, computador, carro- e nos remetemos a um estado incontactável com o mundo e os outros, como que regressando a um estado primitivo, sem virtualidades e de olhar real , delineamos no papel as possíveis estratégias de vida.

há anos alguém me dizia que ,atualmente, mais do que um Plano B, devíamos ter vários, com ,pelo menos, as cinco primeiras letras do alfabeto.

quando contamos os minutos para sair do local de trabalho com um ambiente sufocante, quando deixamos de ter o entusiasmo inicial, quando nos damos conta que não há progressão mas estagnação total e pensamos "mas o que é que estou aqui a fazer?", é claramente o momento de apanhar um outro voo.

Livre-arbítrio, diria Kant, se aqui estivesse ao lado. Diferente, contudo, o livre-arbítrio aos 20 da escolha ponderada, de risco, mas de coragem, aos 40.

quando crescemos com pais com esta capacidade de risco e de coragem talvez isso nos percorra todos os poros.

talvez seja a música adequada para todos que como eu se preparam para outros voos.

@mmalheiro

 

 

publicado às 10:42

# A vida é uma bola de sabão (feat. Beirut)

                               

                             

 

                                         Hoje é dia da criança, talvez por isso hoje seja um dia em que os adultos ( alguns!)  acreditam que a vida é uma bola de sabão.

Aprende-se muito com as crianças, redescobre-se a física única das bolas de sabão e não se pensa em nada.

Os outros adultos, os que perderam a capacidade de ver as bolas de sabão a flutuar, lindas, no céu, têm listas de compras diárias para a vida ,que incluem a procrastinação dos sentimentos, o adiar dos beijos, dos abraços, a indiferença perante os doentes ( não estás suficientemente doente, só trato de uma parte de ti, vai lá ter com o meu outro colega médico e "desampara-me a loja"), a indiferença perante os sofrimentos dos outros, ou o espanto perante as alegrias, em prol do seu ego ( deixa-me tirar a foto com o melhor ângulo das minhas qualidades).

Um cansaço estes adultos das listas de compras.

Serão capazes algum dia de fazer bolas de sabão sem medo do ridículo, livremente?

                                                                       

e1a9f767547290ddd4fda24b0c52dfd3.jpg                                         Estas bolas de sabão vão diretamente para todas as crianças internadas ou em consulta no IPO de Lisboa, com muita ternura e música dentro. ( all rights reserved to Beirut)

@mmalheiro

                                     

                                      

 

 

 

publicado às 20:02

# Pensar para além da Da Res Pública ,da Escola Pública e da Escola Privada

e1f74abd96b9fc583b883e103b0e134e.jpg                                                    Fotografia de Glass Planet no Flickr 

Muito se tem falado por estes dias na Escola Pública e na Escola Privada.

Já não há sinceramente paciência para ler nem nas redes sociais, nem nos jornais sobre esta "guerrinha de cores".

Ponto primeiro, há escolas públicas muito boas, há escolas privadas muito boas, pedagogicamente.

Ponto segundo, o mesmo se aplica na negativa.

Ponto terceiro, deve haver liberdade de escolha sempre pagando pelo serviço privado pedagógico. Se os pais não puderem pagar na totalidade, poderão pagar de acordo com os rendimentos.

Ponto quarto, distribuição equitativa de alunos para ambos os lados.

Ponto quinto, há escolas públicas que necessitam de obras urgentes, como é o caso do Liceu Camões, uma excelente escola pública.

Último ponto, é preciso pensar para além do quadrado, para além das metas, dos objetivos específicos, dos tempos letivos, das componentes letivas e não letivas, pensando-se numa escola de futuro em Portugal.

Qual deverá ser essa escola?

Há um ano um professor português ( diretor de uma escola privada)explicou brilhantemente para uma plateia de mais de 400 professores de uma escola pública como se pensa para além da pedagogia do quadrado, limitadíssima às quatro paredes de uma sala de aula.

Também há um ano uma professora mostrou-me ,radiante, como tinha instalado um laboratório de ciências físico-químicas, com o equipamento que ia ser deitado fora após as obras da Parque Escolar num  liceu muito antigo do centro de Lisboa ( esse liceu doou generosamente este equipamento), numa escola pobre na zona de Loures donde se avistavam os aviões ou como andava com um GPS marítimo a ensinar localizações aos alunos mais novos.

Portanto, é possível pensar para além do quadrado de ambos os lados.

A Comissão Europeia e o Programa Pestalozzi já o fazem, tentando mudar mentalidades.

Leia aqui sobre a Educação para a Democracia e aprenda sobre a nova formação para professores criada pela Comissão Europeia.

ao meu professor de Português, António Leitão ( in memoriam)

@mmalheiro

 

 

publicado às 12:19

# Do acesso bloqueado ( feat. Bjork and Thom Yorke)

Separao-de-correio.25.jpg                                                 Separação do correio, Lisboa, Portugal, via Pinterest

                              Li e soube hoje que vão ser dispensados (verbo mais suave do que o verbo demitir) 100 trabalhadores de um Banco português. 

Alguns deixaram de ter acesso ao seu serviço.:casos de irem fumar à rua e já não conseguirem passar o cartão de acesso. É gritante esta forma de tratamento a trabalhadores num Estado de Direito.

Passaram a ter o acesso bloqueado. A porta que agora se abrirá é a de casa. Uma pena.

I've seen it all ( all rights reserved to Bjork and Thom Yorke)

@mmalheiro

 

 

 

 

publicado às 21:39

# Todas as coisas e acontecimentos falam sem metáfora

3f9c380886d87c57ae33dbb57b36bd37.jpg

                                         Foto do filme Breakfast at Tiffanys na NYPL  - via Pinterest.

                                         Dia mundial do livro e tantos ainda que não sabem ler o seu próprio nome, assinar ou ler uma conta doméstica. Durante anos tem sido fundamental o papel das bibliotecas, primeiro itinerantes, caso da Biblioteca Gulbenkian que percorria terras por Portugal adentro, depois bibliotecas municipais.

Agora que os ebooks subsistem  a par com os  tradicionais livros em  papel haverá mais leitores? Ou ler-se-á apenas o "feed" das notícias das redes sociais ou dos jornais digitais?

Continua a ser magnífico entrar numa grande biblioteca como é o caso da Biblioteca Nacional em que há anos, antes do grande processo de digitalização dos arquivos ( a maior parte online no site), para se aceder aos "reservados" era necessária uma autorização especial. Ali se ficava a sós com toda a história nas mãos.

Há cerca de um ano que um livro me acompanha [Walden].

Creio que Pessoa se terá inspirado no homem simples do campo, puro filósofo, que Thoreau encontrou no lago Walden, para dar vida a Alberto Caeiro.

Todos os dias ,ou sempre que posso, leio ou releio as palavras de Thoreau que, em momentos às vezes críticos de vida, quando parece "que tudo arde",  se encaixam literalmente no tempo presente, como por exemplo:

" (...) corremos o risco de esquecer a linguagem que todas as coisas e acontecimentos falam sem metáfora, e se mostra, na sua singularidade, abundante e exemplar. (...) O que é o curso da história, a filosofia, ou a poesia, por mais selecionada que seja, ou a melhor sociedade, ou a mais admirável rotina de vida, em comparação com a disciplina de olhar incessantemente o que existe para ser visto? (...)Lede o vosso destino, vede o que está à vossa frente e marchai para o futuro. (...)Gosto de uma larga margem para a minha vida."

[Walden, 1854: 130]- capítulo "Sons"

escute em streaming a emissão ao vivo, em permanência, da Minnesota Public Radio em homenagem a Prince

( grande músico)

@mmalheiro

 

 

 

publicado às 20:51

# Wanderlust ( feat. Nyman)

a0f4596a2e7da7c3ce3a8bf6add0e955.jpg

                           [ a falta de ética dos outros ,em local de trabalho, leva-nos a repensar claramente a rota de vida. o que faremos quando tudo arde? gestão estratégica de voo. ]

                              bisadíssimo aqui e no Jazzística- Nyman - dá para correr e para pensar ...

                                                     aos que têm de redefinir voos e rotas, sem medo.

                                                        [ aos meus pais]

                                                    @mmalheiro

                                      

publicado às 23:13

# Da CRP- 40 anos- do Direito ao Trabalho

8c94bb65988b062e5a3bc7576e8150bc.jpg                                                     via Pinterest.

                                                     40 anos de CRP e tanto direito ainda por cumprir, como o Direito ao Trabalho. 9 mil professores com mais de 10 anos de trabalho permanecem ano após ano, em precariedade, investigadores desenvolvem trabalho reconhecido na área da Imunoterapia aguardando um posto de trabalho, milhares de trabalhores em regime de recibos verdes, bolseiros em precariedade, emigração forçada para enfermeiros, farmacêuticos, professores e outras profissões. um país que não dá resposta, apesar do Portugal2020.

Quando dará?

"A 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas, coroando a longa resistência do povo português e interpretando os seus sentimentos profundos, derrubou o regime fascista.

Libertar Portugal da ditadura, da opressão e do colonialismo representou uma transformação revolucionária e o início de uma viragem histórica da sociedade portuguesa.

A Revolução restituiu aos Portugueses os direitos e liberdades fundamentais. No exercício destes direitos e liberdades, os legítimos representantes do povo reúnem-se para elaborar uma Constituição que corresponde às aspirações do país.

A Assembleia Constituinte afirma a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos, de estabelecer os princípios basilares da democracia, de assegurar o primado do Estado de Direito democrático e de abrir caminho para uma sociedade socialista, no respeito da vontade do povo português, tendo em vista a construção de um país mais livre, mais justo e mais fraterno.

A Assembleia Constituinte, reunida na sessão plenária de 2 de Abril de 1976, aprova e decreta a seguinte Constituição da República Portuguesa:(http://www.parlamento.pt/LEGISLACAO/Paginas/ConstituicaoRepublicaPortuguesa.aspx)"

in Preâmbulo , CRP, VII Revisão Constitucional, 2005

@mmalheiro

 

 

publicado às 18:43

# Do Homem precário ( feat. Art of Noise)

Ontem passou num dos canais generalistas uma reportagem sobre os portugueses que vivem nos Estados Unidos, daqueles que foram delicadamente "enviados" para o estrangeiro com uma espécie de pseudo-argumento "vai-te lá embora que aqui não há trabalho para ti", dito pelo ex- primeiro-ministro.

De modo que, muitos jovens ou não,  licenciados, pós-graduados, mestres, doutores, se fizeram à  vida da "exportação intelectual".

Não regressarão. Se calhar fazem bem, face às magníficas palavras do presidente da CIP, hoje, sobre a precariedade.

Com esta mentalidade de dumping laboral, muitos mais partirão, infelizmente.

@mmalheiro

                 electripipedream.tumblr.comf148cac250a7588a94e92d22e0521379.jpg

 

publicado às 19:03

# Do superior interesse da criança e das mães

Nos últimos dias, surgiram novamente notícias de vítimas de violência doméstica, umas mediáticas, outras infelizmente vítimas e causadoras de tragédias. Há, ainda, tragédias em pleno século XXI, pois não há uma ação pronta e eficaz  em prol das vítimas de violência doméstica e dos seus filhos. Se nalguns casos há excesso de zelo na proteção dos menores ( no polémico caso da mãe de Sintra a quem foram retirados os filhos por motivos económicos ), noutros há uma ineficácia gritante, ficando mães/ mulheres entregues a si próprias, dentro do sistema, já que o sistema demora a (re)agir após a burocracia...

Pugne-se pelo interesse superior da criança e pelo interesse superior destas mães que precisam muito de ajuda, a todos os níveis , mas de modo verdadeiramente eficaz. Quantas tragédias terão de acontecer para se agir mesmo?

@mmalheiro

 

 

publicado às 17:00

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Facebook